Para Educar Crianças Feministas

Já conhecia a autora, Chimamanda Ngozi Adichie, tinha interesse em ler outros livros dela e quando a minha irmã falou sobre Para Educar Crianças Feministas algo despertou a minha atenção.

Talvez tenha sido o fato de eu sonhar em ser mãe algum dia, ou uma curiosidade em relação ao que poderia ter sido feito diferente em relação à minha educação. Para mim não é uma vergonha assumir isso, eu ainda tenho atitudes e pensamentos machistas, e estou me desconstruindo um pouco mais a cada dia.

É fácil percebermos como uma criação machista afeta um menino ou uma menina durante a adolescência e a vida adulta. Algumas falas por si só já dizem tudo sobre como a pessoa cresceu. O que eu não poderia imaginar e que mesmo tendo sido educada por mulheres, o machismo estaria tão presente em mim.

Algumas coisas passam muito despercebidas por nós e acabam por influenciar uma vida inteira. Como, por exemplo, quando fui ensinada a ser educada e comportada por ser menina, “Meninas sempre têm que estar arrumadas e comportadas”. Como isso fosse algo exclusivo do sexo feminino, os meninos podem correr em uma festa de gala, gritar, se sujar e as meninas não?

“Pois aquilo que a moça chama de ‘se comportar como menino’ era, na verdade, se comportar como ela mesma”

Chimamanda Ngozi Adichie

E continuei reproduzindo isso durante um bom tempo, me mantendo calada quando não gostava de algum comentário ou diziam algo maldoso para mim, porque fui educada a ser agradável, a respeitar.

Um outro momento que me identifiquei muito foi quando a autora comentou sobre a vergonha do próprio corpo, que as meninas são ensinadas a ter. Me lembrei de quando era mais nova e queria muito participar das partidas na educação física, mas sentia vergonha dos meus seios. Não queria viver o desconforto que os olhares alheios (e o meu próprio olhar) me faziam sentir quando começava a correr. Isso acabou me distanciando cada vez mais do esporte, da atividade física. E é algo que lamento MUITO.

“Faça-a perceber que mulheres brancas e magras são bonitas e que mulheres não brancas e não magras são bonitas

Chimamanda Ngozi Adichie

Enfim, poderia ficar o dia inteiro aqui dando exemplos de como o machismo afetou a minha vida, quem eu sou hoje. Mas esse não é o objetivo.

Recomendo esse livro para todas as pessoas, independente de sexo ou gênero. Se você quer ter filhos ou não. Todos nós já fomos crianças um dia, e mesmo que decida não construir uma família, tenho certeza que irá conviver com crianças em algum momento. Mesmo que seja de forma indireta.

E que tipo de exemplo você quer dar para essas crianças? Que tipo de pessoa você quer ser?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s